Agradecemos a todos as candidaturas enviadas que celebram a verdade e a excelência
do jornalismo. Foram muitas as peças recebida, focando e abordando os mais diversos temas e formatos. Todas as candidaturas serão apreciadas pelo júri.

O Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva da INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda tem como principal objetivo a distinção de trabalhos que reforcem os diferentes estilos jornalísticos da imprensa escrita, seja através da investigação, da reportagem ou da análise, contribuindo para uma sociedade mais informada.

“Para mim, o Vicente era e sempre será não um jornalista mas O JORNALISTA e tudo o que eu sempre quis foi conseguir fazer um décimo do excelente jornalismo que ele sempre fez.”

Nicolau Santos
Presidente do Conselho de Administração da agência de notícias LUSA

Sobre o prémio

Este prémio, que conta agora com a sua 1ª edição, atribuirá anualmente uma bolsa para investigação jornalística no valor de 5.000 euros.

Poderão ser apresentadas candidaturas da autoria de profissionais de jornalismo – titulares de Carteira Profissional, Cartão equiparado a Jornalista, Cartão de correspondente estrangeiro ou Título Provisório de Estagiário, nacionais ou internacionais.

Vicente jorge silva

Vicente Jorge Silva foi, sem dúvida, uma figura de destaque no jornalismo português das últimas décadas. Um contributo único para o País e para a língua portuguesa que levou a Imprensa Nacional – Casa da Moeda, S.A. a criar o Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva, numa homenagem e reconhecimento.

JÚRI

 

 O júri, designado pela INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda, é composto por cinco personalidades de reconhecido mérito ligadas ao jornalismo, três elementos permanentes e dois a nomear em cada edição do prémio.

O Júri permanente é composto por Nicolau Santos, presidente da Agência LUSA, Manuel Carvalho, diretor do jornal PÚBLICO, e João Vieira Pereira, diretor do jornal EXPRESSO.

Nesta 1ª edição, os dois elementos de júri nomeados são Teresa de Sousa, jornalista do PÚBLICO, e Daniela Santo,  jornalista reformada da RDP Madeira.

A todos eles agradecemos o seu contributo ímpar na dignificação do jornalismo.

O júri, designado pela INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda, é composto por cinco personalidades de reconhecido mérito ligadas ao jornalismo, três elementos permanentes e dois a nomear em cada edição do prémio.

O Júri permanente é composto por Nicolau Santos, presidente da Agência LUSA, Manuel Carvalho, diretor do jornal PÚBLICO, e João Vieira Pereira, diretor do jornal EXPRESSO.

Nesta 1ª edição, os dois elementos de júri nomeados são Teresa de Sousa, jornalista do PÚBLICO, e Daniela Santo, jornalista reformada da RDP Madeira.

A todos eles agradecemos o seu contributo ímpar na dignificação do jornalismo.